quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Marca-passo musical

Ao ler sobre corrida descalça, você aprende que um dos princípios é uma alta cadência, ou seja, o número de passos dados em um minuto. E que deve ser maior que 180 passos por minuto (ppm). Difícil é chegar nesse ritmo e mantê-lo, especialmente para iniciantes.

You can read the English version here.

Uma cadência lenta (em torno de 150-160 ppm) é comum em corredores calçados, pois a passada é mais longa e mais à frente, o que provoca o toque com o calcanhar e que impede o uso da energia elástica armazenada em cada passo. Carregar um metrônomo eletrônico é uma solução para acelerar a cadência, mas, tenho que admitir, é muito chata. tap, tap, tap, tap… minutos sem fim logo torra a paciência. Uma alternativa seria ouvir música com o ritmo exatamente igual à cadência que se quer alcançar, 180+ ppm. Alguns problemas surgem com essa solução.

Como suportar drum & base e speed metal por tanto tempo?

Não há muita opção de músicas de 180 bpm por aí. No fim das contas sobram basicamente as batidas jungle do tecno ou o pancadão ensurdecedor do speed metal. Que podem ser até legais por algum tempo, mas deixam qualquer um doido durante um longão. O lance é dividir o ritmo pela metade. Em vez de contar uma batida para cada passo, você pode ampliar suas opções se você contar uma batida em passadas alternadas.

Ouça algumas músicas com ritmo de 90–93 bpm (180–186 ppm):




Como medir os bpms de cada uma das 2000 músicas que eu tenho?

Você pode analisar manualmente cada uma das músicas, contando as batidas por 30 segundos, dobrando o valor e, pronto, você encontra o valor do ritmo. Ou você pode usar um metrônomo virtual, onde você aperta uma tecla no ritmo da música e ele lhe diz qual o valor do ritmo. Isso pode até ser feito para um punhado de músicas, mas rapidinho se torna impraticável quando se quer analisar uma coleção musical um pouco maior. É preciso automatizar este trabalho infeliz.

Eis que surge um software que descobri, chamado Pacemaker—um programa gratuito que acompanha um controlador portátil para DJs que leva o mesmo nome. (Para ser mais claro: você pode baixar o software sem precisar comprar o hardware.)


O Pacemaker importa a biblioteca completa do iTunes, ou qualquer pasta com música, e automaticamente analisa o ritmo de cada uma das músicas. Depois disso, você simplesmente escolhe as músicas com o ritmo apropriado.

E se a música que eu quero for lenta ou rápida demais?

É aqui que entra a grande lance do Pacemaker. Com ele você pode alterar o ritmo de qualquer música sem mudar a afinação. Claro que dentro de alguns limites, já que algumas músicas podem ficar estranhas quando tocadas num ritmo muito diferente do ritmo original. Mas, normalmente, dá para pegar qualquer música entre 80 e 100 bpm e transformá-la num metrônomo musical, a um ritmo fixo de, digamos, 90 bpm. Aqui vai um breve tutorial que mostra justamente como fazer isso.

Para começar, baixe, instale e rode o programa. A janela do aplicativo é dividida em 4 painéis. Exceto pelo painel superior, que mostra formato de onda, todos os outros painéis podem ser desativados por um grupo de botões no topo da janela:


O painel Mixes mostra as músicas que você editou, alterando seu ritmo. Se você estiver a fim, você pode fazer mixagens sem interrupção com suas músicas preferidas, mantendo o mesmo ritmo""elas também irão parar neste painel.

Cases são equivalentes a playlists. Você pode criar cases diferentes para diferentes estilos de música, ou pode usar qualquer critério que der na sua telha.

O painel Editor mostra todas as músicas, juntamente com os cases e mixes. Assim que você adiciona algumas músicas neste painel, arrastando e soltando ou usando as opções de Import no menu File, Pacemaker vai analisar cada uma das músicas para descobrir o seu ritmo. Músicas que ainda não foram analisadas vão estar listadas no grupo Not Analyzed.

Se você não tiver o equipamento Pacemaker, o botão Device não faz nada.

O botão Play/Mix, à direita do grupo de botões, alterna o painel do formato de onda entre a música selecionada no painel Editor e a mixagem ativa no painel Mix.

Agora que você aprendeu mais ou menos a fuçar no programa, vamos trabalhar. Se o Pacemaker já não importou automaticamente sua biblioteca do iTunes, vá para o menu File > Import Music Directory… e escolha a pasta onde seus arquivos de música estão salvos. Pacemaker vai importar e analisar todas as músicas, o que pode demorar um pouco. Se você quiser apenas alterar algumas músicas, apenas arraste e solte essas músicas no painel Editor. Elas vão estar listadas no grupo Tracks. Depois de analisadas, você pode ordená-las por qualquer parâmetro, simplesmente clicando no cabeçalho de uma das colunas. Clicando com o botão direito do mouse no cabeçalho, você ativa e desativa os parâmetros que você quiser.

Agora vamos supor que você queira correr ouvindo "Lose Yourself" do Eminem a 180 ppm. Você arrasta e solta o arquivo no painel Editor ou, se já estiver sido importado, você pode usar o campo de busca no canto superior direito da janela do aplicativo. O ritmo desta música é de apenas 86 bpm, equivalente a uma cadência de 172 ppm, que não é rápida o suficiente. Precisamos acelerá-la.

O primeiro passo é verificar que o painel Mixes está ativado; então crie um novo mix clivando o botão New. Dê o nome de "90 bpm". Então simplesmente arraste e solte a música do painel Editor no painel Mixes. O resultado será semelhante a este:


Para ganhar um pouco mais de espaço para trabalhar, escolha o item de menu View > Hide Mix Artwork.

Chegou a hora de ajustar o ritmo, o que é bastante fácil. No painel de forma de onda, você nota uma fina linha preta. Esta é a linha de ritmo, que você pode ajustar livremente. Se você passar o ponteiro do mouse sobre o ponto na extremidade esquerda dessa linha, você vai ver -0.0% (85.8), que é o ritmo original. Agora você simplesmente arrasta este ponto para cima, até chegar no valor que você quer, 90 bpm. Assim:


Pronto. Agora é só ir em File > Export Mix… Entre com um nome sensato, como "Lose Yourself 90bpm" e escolha onde salvar a música.

Há apenas uma pequena complicação. Pacemaker só salva seu arquivo no formato .ogg (Vorbis). Alguns tocadores de mp3 são compatíveis com este formato, mas você tem que converter para .mp3 ou .aac se você quiser ouvir essa música num iPod ou em boa parte de outros mp3s. O iTunes da Apple é capaz de fazer essa conversão após você instalar a extensão para QuickTime chamada XiphQT. Simplesmente arraste o arquivo "Lose Yourself.ogg" para a janela do iTunes para importar a música. Aí, clique com o botão direito na listagem e escolha Criar Versão AAC. Se você preferir o formato mp3, abra as preferências do iTunes e selecione o painel Geral. Então clique no botão Ajustes… e escolha Codificador MP3 do menu pop-up. Dê Ok duas vezes para aceitar as alterações, e finalmente clique com o botão direito no arquivo. Desta vez você verá Criar Versão MP3. Agora você pode deletar o arquivo .ogg original da lista do iTunes e transferir o recém-codificado arquivo para o seu iPod.

Faça isso com todas as músicas que você quiser ouvir ao correr descalço. Você também pode juntar várias músicas e criar mixes sem intervalo. É apenas um pouco mais de trabalho e além da alçada deste post, mas é bem fácil de entender depois de assistir a estes tutoriais.

Espero que este post ajude a deixar seus pés ágeis e suas corridas ainda mais divertidas.

Um comentário:

  1. Como muitos, sou um corredor amador que gosta de musica. Achei ótima sua ajuda e esse programa. Valeu......
    Marcelo M

    ResponderExcluir